Home / Pastoral da Liturgia

Pastoral da Liturgia

Pastoral da Liturgia” Quando o leitor sobe ao púlpito, é Cristo que nos fala. Quando o pregador comenta a Palavra, desde seja a verdade, é Cristo quem nos fala. Se Cristo houvesse silenciado, eu não poderia afirmar o que estou dizendo neste momento. Cristo tampouco, permanece silencioso em vocês: quando cantam, não é, porventura, o próprio Cristo quem canta em sua voz?”
                                                                                                                                     Santo Agostinho

Queridos amigos, sejam bem-vindos. É com imensa alegria que nos encontramos para refletir, estudar e aprofundar nossos conhecimentos sobre a maravilhosa arte de celebrar os mistérios do Criador, revelado pelo Filho Jesus Cristo e confirmado pela ação do Espírito Santo. Liturgia e Canto Litúrgico quando bem compreendidos torna a pessoa feliz e comprometida com a Comunidade com a qual se dispõe a servir. Que o  Senhor nos abençoe  e que possamos crescer no entendimento e na oração.

Antes do Concíclio Vaticano II (1965 a 1968) a Liturgia Cristã era reduzida  somente à ministros ordenados (bispo, padre). A assembléia (povo) era um participante inativo, assistente, sem participação e muito menos compreensão do que ouvia e via, pois o Celebrante rezava em latim, de costas para o povo. Esta forma de celebrar era Ritualista, e não buscava a Ação conjunta de prestar louvor a Deus.

Pós Conc. Vaticano II, a Igreja retoma, então o verdadeiro sentido da Liturgia = Ação do povo batizado em união com Deus para no dinamismo propiciar a ação participação plena e consciente do povo. Liturgia é a manifestação amorosa de Deus em favor da VIDA. Esta ação criadora, libertadora, transformadora e santificadora nos atinge, nos torna agentes participativos numa profunda aliança de amor e compromisso. Quando celebramos estamos fazendo o elo da Tríplice aliança: Ação realizada por Deus em Jesus Cristo e, através do Espírito Santo em nós e através de nós para toda humanidade.

Na agitação da nossa rotina de vida, existe um melhor dia para celebrar? A impressão que temos é que as pessoas, os grupos definem a partir de sua realidade qual a melhor hora, o melhor dia da festa. Porém, para a Igreja Católica o DOMINGO é considerado o dia do Senhor, dia de festa e de alegria. Porque nos foi designado o domingo para o dia do Senhor? Recordemos:

  •  Quando Jesus morreu, qual foi o dia em que as mulheres foram ao túmulo – o primeiro dia da semana (Mt 28, 1-7; Mc 16, 1-7; Lc 24, 1-8; Jô 20, 1-2. 11-13);
  • Os judeus consideravam o primeiro dia da semana o primeiro dia depois do sábado;
  • Ao ressuscitar, Jesus se tornou para nós o Novo Sol, nova criação, novo homem. Por isso, Domingo dia do começo da vida nova em Jesus;
  • Ressuscitado Cristo se tornou nossa Páscoa, por isso toda Missa no domingo tem a característica de Páscoa do Senhor, é o sentido litúrgico que devemos celebrar;
  • Hoje trabalhamos a semana inteira e descansamos no Domingo, mas por conta do mundo globalizado muitos trabalham até mesmo no domingo, tendo assim que se adequar as exigências do mercado de trabalho, oxalá não sejam impedidos de vivenciar a sua fé;

 10_musica-001Quem prepara a Celebração?

– Presidente da Celebração (Ministro Ordenado), Comentaristas, leitores, Salmistas, Cantores, Músicos, Ministros extraordinário da Comunhão, Grupo da Acolhida, Dança Litúrgica ( se houver).

Não há como não perceber que a Celebração deve ser preparada por um grupo de pessoas e não apenas pelo Pe ou pelo Coordenador. Para facilitar este trabalho chamamos todo este grupo acima mencionado de Equipe de Liturgia e Canto Pastoral, que deverá ter um coordenador e um assessor que a priore é o Pároco ou Vigário ou ainda um seminarista. Para falar do papel de cada um na celebração, fica o convite para um próximo encontro. Basta no momento ter a clareza de que uma Boa Celebração deve ser bem preparada por todos e deve revelar arte e beleza. Nosso grupo aqui reunido se caracteriza pela grande maioria de cantores e instrumentistas, portanto, vamos observar qual é a verdadeira missão do Canto Litúrgico dentro da celebração.

Coordenadora: Tereza Viana de Moraes